12 de maio de 2009

Garrafa Vazia

E em meio aos grandes centros urbanos me encontro
Sem cor, transparente, abandonada.
Em meio a calçados com vida que estão sempre a transitar
Apressados, desgastados, vendidos.
No bailar das rodas que gritam as 6 da tarde
Sujas como a rua na qual estou
E embora cercado por almas condenadas
Deitado sob o céu em chamas eu sou
Uma garrafa vazia

2 comentários:

C a i o disse...

E, eu achava que tinha problemas, rs
KOMSAOKMSAOKMSAOKMSAOKM'

Daniela E. disse...

amei isso, minsina?

Postar um comentário

 

Mente vazia a todo vapor 2010 | Layout por @vtkosq