1 de janeiro de 2010

Em Mentiras Sinceras

Eu não crio poemas,
Apenas anoto aquilo que meus sonhos dizem.
E de alguma maneira as palavras se encaixam tão bem
Que enxergo as pessoas como elas vivem,
Enxergo o mundo como eles dizem.
Tão puro.

Eu nunca amei de verdade,
Apenas admirei quem eu não devia,
E de alguma maneira isso me fez tão bem
que hoje eu sei que existe paz,
E talvez exista muito mais,
Tão perto.

Eu nunca tive bons motivos para sorrir,
Apenas não posso olhar no espelho com medo do que vou ver,
Isso não é justo comigo,
Não é justo com os bons motivos que me passam sem eu perceber.
Tão simples.

Eu não enxergo o que há dentro de mim
Mas posso ver em seus olhos que algo aqui te conforta
Isso não é justo contigo,
Mas vai ter de mim o que teu peito suporta.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Mente vazia a todo vapor 2010 | Layout por @vtkosq