24 de julho de 2010

Ciclos

“Eu te amo” tsc.
Tão clichê, por que ficou tão fácil dizer isso?
E onde fica o sentimento? A paixão?
O sentimento sincero diferente dessa atração carnal ou dessas historias de verão.
Já parou pra pensar quantas vezes você já escuto isso?
-eu te amo mais que tudo e todos, quero fica do teu lado para sempre.
Esse bla bla bla sentimental, que te pretende fazendo você entra nesse ciclo eterno.
Amar, conquistar, manter, esquecer.
Começa como um conto de fadas, o afago as promessas os planos.
E você pensa que dessa vez vai dá certo!
Mergulha de cabeça, entra na roda, dança conforme a música.
Mas ai um dia, sem mais nem menos, ou pelo menos um bom motivo... Acaba, fim, the end
-eu gosto muito de você, espero que possamos ser amigos
Ou então.
-preciso de um tempo, quero meu próprio espaço
Alguma desculpa hipócrita desse tipo.
Se você queria um amigo [a], por que criar esse amor paradoxo?
A verdade é que nada dura para sempre, e conto de fadas não existem, e essa altura acho que até o conto já deixo a fada
Esse ciclo vicioso que parece não ter fim, você promete que pra si mesmo que não vai mais amar, que não vai mais sofrer por isso, que nunca mais vai gostar de alguém, mas você já esta preso a esse ciclo e, é só questão de tempo até você repetir a ordem novamente.
Parece que as promessas para si mesmo são as mais difíceis de cumprir não?
Eu só queria que pra algumas pessoas, amor não fosse só uma palavra pára um doce romance


0 comentários:

Postar um comentário

 

Mente vazia a todo vapor 2010 | Layout por @vtkosq